Carta de Trieste de apoio à reforma psiquiátrica brasileira

Carta de Trieste de apoio à reforma psiquiátrica brasileira

A LUTA É INTERNACIONAL

Abraço Internacional à Reforma Psiquiátrica Brasileira

 

Mais de 250 participantes do Encontro Internacional “Uma sociedade sem isolamento” – Trieste, 15 a 18 de dezembro de 2015 -, oriundos de 24 países, bem como de toda a Itália, desejam manifestar sua preocupação acerca do novo direcionamento do processo de reforma psiquiátrica brasileira.

A experiência brasileira é um dos exemplos mais emblemáticos de desinstitucionalização e de inclusão social de pessoas em sofrimento mental grave.

A indicação do Ministro da Saúde de um novo coordenador para a Saúde Mental que já demonstrou aversão quanto à reforma ao longo de sua carreira como psiquiatra e como diretor de um hospital psiquiátrico causou polêmica no mundo todo.

Os participantes querem demonstrar-se solidários a usuários, familiares, Associações e trabalhadores da Saúde Mental que estão lutando pela evolução e pelo fim deste processo, a partir da oposição a qualquer possibilidade de retrocesso quanto a posicionamentos éticos, políticos e sociais importantes.

Os participantes comprometem-se a divulgar informações a esse respeito e a apoiar a luta contra hospitais psiquiátricos em seus países e diante de organizações internacionais.

 

Trieste, 17 de dezembro de 2015.



Comentários

  1. Todos que operam alguma solução original em termos de estratégias percebem claramente o quanto o isolamento em manicômios é artificial. Trabalho com saúde mental na Atenção Básica articulando grupos de ajuda mútua, atendimentos domiciliares à crises e atendimento individual complementar. Isso ajudou a diminuição da demanda psiquiátrica em muito. Assim passamos a articular com a psiquiatra do Hospital e com o CAPS regional.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Seu comentário poderá ser moderado.