Além de atacar a Estratégia de Saúde da Família, ministro debocha do princípio da participação popular

Além de atacar a Estratégia de Saúde da Família, ministro debocha do princípio da participação popular

Ricardo Barros, o Ministro da Saúde deste governo ilegítimo, apresentou hoje (10/08/17) à imprensa quais serão as mudanças que serão realizadas na Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) enquanto a consulta pública sobre a mesma segue aberta para contribuições da sociedade.

 

A consulta está aberta até a meia noite do dia 10 de hoje e já conta, até o momento, com quase 6 mil contribuições. Além disso, debate presencial realizado pelo Conselho Nacional de Saúde ontem na Fiocruz contou com mais de 2 mil presentes, demonstrando grande preocupação e interesse de entidades, trabalhadores e da população em geral sobre o tema.

 

Diversas entidades e conselhos se posicionaram com grande preocupação sobre os termos da revisão da PNAB (Política Nacional de Atenção Básica). Segundo compreensão desses atores, a proposta coloca em risco a existência dos Agentes Comunitários de Saúde e da Estratégia de Saúde da Família, só para citar dois exemplos.

 

Não foi a primeira vez que o processo de debate com a sociedade sobre a revisão da PNAB não ocorre de maneira adequada. A pactuação entre Ministério e Conselho Nacional de Saúde (CNS), órgão máximo de participação social do SUS, feita em Julho, era de que haveria debate sobre as propostas. No mesmo mês, foi anunciado que a reforma seria pactuada pela Comissão Intergestores Tripartite sem qualquer debate. Houve recuo e foi aberta consulta pública de 10 dias. O CNS não teve acesso ao texto proposto enquanto não foi aberta a consulta pública, embora solicitasse acesso desde 2016.

 

Agravando todo esse contexto, em explícito desrespeito à participação popular, que é um dos princípios do SUS, o Ministro chamou coletiva de imprensa para “apresentar as mudanças na PNAB” sem que o prazo final da consulta pública tivesse finalizado.

 

O CEBES vem a público repudiar esse desrespeito à população brasileira por parte de Ricardo Barros e exigir que seja aberto um diálogo verdadeiro com a sociedade, onde suas demandas sejam escutadas e atendidas. Também demandamos que sejam tornadas públicas todas as contribuições da consulta e a análise realizada pelo Ministério da Saúde; além da realização de reuniões do Conselho Nacional de Saúde para avaliação em plenário da minuta de revisão da PNAB, antes que as mudanças de fato ocorram. Em defesa da saúde e da democracia, exigimos mais transparência e participação social antes da reforma de uma política pública tão essencial ao povo brasileiro.



Comentários

  1. Não podemos conceder que um dos princípios mais importante do Controle Social vire nada na boca desse governo ilegítimo. Fora Temer!!!!

  2. É preciso respeito a população, a convocação popular participativa juntamente com os agentes comunitários de saúde nos debates do sistema único de saúde. O agente comunitário de saúde representa um papel muito importante para a população, caso retirá los do seu papel será desmontado todo o sistema que levou anos para ser contruido e que deu certo e rumo a saúde através de visitas domiciliares. As visitas domiciliares traz para a equipe a verdadeira necessidade, demanda da sociedade brasileira. O agente comunitário de saúde é o povo, e o povo é o agente comunitário de saúde. É preciso, é necessário regularizar, capacitar, respeitar, oferecer a dignidade, a segurança ao profissional da categoria, aperfeiçoar, modelar, fiscalizar a verba a seus fins e não só soltar para fazer imagem, política, mas não conseguem atender as necessidades básicas da população. Os agentes comunitários de saúde lutam e devem lutar são quase 25 anos sem valorização, muitos correm sozinhos atrás de informações de acordo da necessidade da população. Os profissionais, a população necessita da segurança, da confiança, da responsabilidade das autoridades com a saúde . A PNAB precisa escutar mais os profissionais ACS e a população nas suas tomadas de decisões. Parabéns a categoria e aos que reconhecem e valorizam.

  3. Repúdio essa situação,percebo que querem acabar com atenção básica, com atenção primária,fim do preventivo,se diminuíram os indicadores é sinal que dá certo,o que falta é recursos destinados ao programa,que não chegam,que são desviados,e muitas das vezes temos que tirar do próprio bolso recursos,para poder da assistência a população. Essas são as situações das unidades básicas de saúde de Maceió Alagoas. Cobram dos trabalhadores, mas não dão condições para tal. Bom dia

  4. Devem também respeitar os agentes comunitários de epidemiologia, privatizar o trabalhos deles, a parte técnica e específicos como vistoriar, manusear, colocar larvicida ….isso é atribuições específicas deles e não do Agente Comunitário de Saúde . Cabe ao agente comunitário de saúde a oriente e educação da população e muitos outros preventivas.

  5. Prevenir também é reduzir gastos. Por isso a Atenção básica tem que continuar.

  6. Muito do que esta acontecendo é por culpa de um caminho anterior tomado pelo CNS quando cooptado, acabou por desmobilizar e desestruturar o controle social no SUS, quando trouxeram os tais movimentos sociais pra dentro dos conselhos de saude e aí politicaram o sistema afastando os militantes de fato do SUS. Anteriormente estariamos mobilizados e invadiriamos Brasilia em defesa do SUS. Mas hoje…..
    E aí o ministro deita, rola e vinga.

  7. Muito do que esta acontecendo negativamente com o SUS, é por culpa do caminho equivocado que o CNS incentivou ao longo do tempo, o aparelhamento dos conselhos de saúde, afastando militante puro que trazia e carregava a bandeira do SUS universal com assistencia universal. Hoje a misturança que devia democratizar se tornou lugar para defender ideologia politico partidaria e nomes de politicos da preferencia de grupos organizados. Enfim isso só serve pra esse ministro nadar de braçada pra descredibilizar e vingar. Lembrando que na CIT o Conasems aceita e concorda com as mudanças? E os conselhos municipais fica vendo a banda passar.

  8. A ESF não pode acabar. Será um retrocesso para saúde no Brasil. A população tem que se apropriar dessa conquista.

  9. Basta,circunscrever a Lei 8.080/90 e a 8091/90 do SUS a contemporaneidade que sanar-se- a, às incoerências no sistema de saúde atual, consequente ao desmonte, maqueagem e desconstrucao deste da sua essência de resolutividade,para atender interesses alheios ao equilíbrio e reequilíbrio das pessoas. O controle social foi e sempre será o centro de atenção e respeito de qualquer governo serio.Com está abordagem creio tá me posicionando com relação a nota de repudio e a consulta pública sobre atenção Básica . AVANTE CONTROLE SOCIAL! Ontem,hoje e sempre.

  10. Em 11 de agosto de 2017 às 09:38
    Paulo de Tarso Celebrone disse:

    Para isso deram o golpe na democracia. Resistir e lutar sempre.

  11. Este go erno q so pensa em si mesno e nao se prwocupa com o povo e de como a estrategia da familia é importante para os usuarios do sus devwream perguntar aos mais interessados neate trabalho que sao os usuarios ai veram o qto a comunidade é beneficiada pelo programa de prevençao q se faz com carinho e humanizaçao ao povo brasieleiro. Este corruptos nao me representam

  12. Retrocesso não será aceito, lutar sempre, desisti jamais!
    # nenhumaequipeamenos!

  13. Não podemos aceitar tantas atitudes egoístas e hipócritas por parte desse governo corrupto e egocentrado! Repúdio toda forma não capaz de ouvir e atender aqueles que mais precisam!

  14. Até quando vamos ficar ouvindo bobagens vindos dessa criatura que esta ocupando a pasta da saúde, que atrevo-me a dizer de forma indevida e sem nenhum preparo para ocupá-la, e, pior que isso sem querer entender de como e porque chegamos até aqui, porém com a clara intenção de terminar com o que a população brasileira construiu ao longo destas 3 décadas!

  15. Fico muito triste com tudo isso.
    Querem acabar com o programa.
    Foi uma luta chegar até aqui e morrer no caminho.
    Time que tá ganhando não se mexe.
    O que vcs deveriam fazer é dá condições de trabalho pra cada um de nós Acs…..pq trabalhamos com amor.
    Sem condições de ir até na comunidade dá informações de quê…..pois faltando tudo.
    Isso quê vcs que está aí sentados numa cadeira não sabe o quê a comunidade precisa.
    Deus abençoe cada um de meus colegas que são pais e mães pra sustentar a família.

  16. A intenção do governo é voltar ao retrocesso no modelo curativista e nao trabalhando com a promoção e prevencao de saude…logo,A população de se tornara mais doente procurando e superlotado os serviços secundários como os hospitais e especialidades,resumindo!
    Favorece o surgimento de hospitais,desvios para os hospitais e grandes empresários.

  17. Muito impensada esta ousadia deste ministro da saúde. Mas tudo pode acontecer neste governo ilegitimo de Temer. os ACS e ACE já estão muito degredado de tantas lutas de tantas idas e vindas a Brasilia. Este governo vem matando as nossas lutas aos poucos.

  18. Em 13 de agosto de 2017 às 07:32
    Maria Ronilda de Oliveira disse:

    Não adianta bater em reformas, gritar fora temer, vaiar golpistas.
    Temos que
    #AnularOgolpe
    para isso acontecer
    #LevantePopularJá

  19. É um absurdo isso tudo ,esse ministro que entende tanto sobre saúde que diz tirar pressão e tirar glicemia kkkkkk.por aí da pra ver o quanto ele entende mesmo.Sem palavras pra descrever essa pessoa que se diz ministro da saúde. É UMA VERGONHA.

  20. oque o sr ministro da SAUDE que e passa a borracha na constituiçao.

  21. Esse cara, não tem propriedade para conduzir a saúde. De nada entende de saúde
    É sócio de empresa de plano saúde.

  22. Em 13 de agosto de 2017 às 18:40
    FABIO ANTONIO MUNIZ disse:

    Esperar o quê de um governo que governa para os ricos, e vira as costas para a população mais carente. O atual desmonte da saúde pública no Brasil é o retrato de uma administração reprovada pela maioria dos brasileiros, e que retira a cada dia direitos conquistados a duras penas pelo povo. Espero que toda sociedade se una contra mais esse absurdo .

  23. Saúde é um direito da Cidadania, não é objeto de conchavos. O QUE FOR PARA UM É PARA TODOS. –

Deixe uma resposta para FABIO ANTONIO MUNIZ Cancelar resposta

Seu e-mail não será publicado. Seu comentário poderá ser moderado.