Lúcia Souto comenta no Jornal Brasil Atual a notícia do ‘represamento’ de testes de diagnóstico de coronavírus pelo governo federal

A médica sanitarista presidenta do Centro Brasileiro de Estudos da Saúde (Cebes), e pesquisadora da Fiocruz, Lúcia Souto, deu entrevista para ao Jornal Brasil Atual dessa segunda-feira (23) sobre a possibilidade de que o Estado brasileiro tenha que desperdiçar 6,8 milhões de testes para diagnóstico de coronavírus, que podem perder prazo de validade entre dezembro deste ano e janeiro de 2021. Ouça a entrevista no link, a partir do minuto 40.

No último domingo, o jornal Estado de São Paulo revelou que “exames RT-PCR estão estocados num armazém do governo federal em Guarulhos e, até hoje, não foram distribuídos para a rede pública. Para se ter ideia, o SUS aplicou cinco milhões de testes deste tipo. Ou seja, o País pode acabar descartando mais exames do que já realizou até agora. Ao todo, a Saúde investiu R$ 764,5 milhões em testes e as unidades para vencer custaram R$ 290 milhões – o lote encalhado tem validade de oito meses“.



Deixe uma resposta


Seu e-mail não será publicado. Seu comentário poderá ser moderado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.