Carta Manifesto – Em Defesa da Vida e Orientações para as manifestações de 21 de junho

Carta Manifesto – Em Defesa da Vida e Orientações para as manifestações de 21 de junho

No final do texto, publicamos essa Carta Manifesto e as Orientações Gerais para a Manifestações desse dia 21 de junho de 2020

Carta Manifesto – Em Defesa da Vida

Solidariedade aos Profissionais de Saúde mortos por Covid- 19

Brasil – pais com maior número de mortes de médicas, médicos, enfermeiras e enfermeiros pela Covid-19

O conjunto das entidades que subscrevem esse documento realizarão neste domingo, dia 21 de junho de 2020, uma série de atos simbólicos em relação à atual crise sanitária vivida frente à pandemia da COVID-19.

O Brasil além de ser hoje o segundo país em número de casos e de mortes, tem outros dados que também são alarmantes. Segundo dados do Sindicato dos Médicos de São Paulo (SIMESP) e do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), até o dia 17 de junho de 2020, somos o país do mundo com maior número de mortes de médicas e médicos (ao todo 139 profissionais) e de enfermeiras e enfermeiros (ao todo 190 profissionais) por COVID-19. Apesar das dificuldades de acesso aos dados, com prováveis subnotificações, somos possivelmente o país do mundo com maior mortalidade de trabalhadoras e trabalhadores da saúde por COVID-19.

Também pelo andar dos acontecimentos chegaremos em breve à quantidade de 50 mil óbitos por COVID-19, em período de apenas 04 (quatro) meses, algo catastrófico pensando o curto período de tempo e o fato de se tratar de uma única doença.

Para se ter uma ideia da dimensão disto, em todo o ano de 2018 no Brasil houve 150.814 mortes por causas externas de morbidade e mortalidade, que inclui todas as mortes por acidentes e agressões, homicídios, violência.

Diante dessa situação iremos realizar no dia 21 de junho de 2020, nesse próximo domingo, às 10:00hs, em todo o Brasil, manifestações ou atos simbólicos de homenagem e respeito aos pacientes e profissionais de saúde que faleceram diante da pandemia. Além da homenagem a essas milhares de vítimas também nos manifestamos:

  1. Em solidariedade às famílias, amigos e colegas de profissionais de saúde que morreram por COVID-19;
  2. Para alertar que a maior parte das mortes por COVID-19 em nosso país são evitáveis, caso o Governo Federal não tivesse uma posição genocida frente à pandemia;
  3. Contra a intervenção militar do Ministério da Saúde, que vem comprometendo sobremaneira o trabalho técnico frente à pandemia;
  4. Contra as declarações do presidente da República, hostis aos profissionais de saúde, incentivando agressões a trabalhadores de saúde em seu ambiente de trabalho;
  5. Contra o silêncio e cumplicidade das entidades médicas, especialmente o Conselho Federal de Medicina (CFM), a Associação Médica Brasileira (AMB) e a Federação Nacional dos Médicos (FENAM), frente às posições do Governo Federal. Além disto, nem mesmo nos sítios eletrônicos dessas entidades conseguimos saber quantos e quais os colegas médicos perderam a vida;
  6. Por segurança no ambiente de trabalho dos profissionais de saúde. Demandamos mais Equipamentos de Proteção individual (EPI), e a reorganização de processos de trabalho, por gestores na saúde pública e empresas de saúde, que possibilitem menores impactos da exposição à doença ou ao stress produzido pela pandemia;
  7. Pelo apoio a Campanha Leitos Únicos – Vidas Únicas, que garanta para toda a população fila única de acesso às UTI a partir do SUS, tanto nos serviços públicos como na saúde suplementar;
  8. Pelo aporte adequado de financiamento do Sistema Único de Saúde. Pela supressão da Emenda Constitucional 95 (EC- 95), que congela gastos em saúde pública por 20 anos. O SUS salva vidas!!!
  9. Vidas Negras Importam e Vidas Indígenas Importam – total solidariedade à população negra de nosso país, maioria do povo brasileiro, minoria nos espaços de representação institucional e que vem sofrendo especialmente junto às áreas de maior vulnerabilidade social os impactos da pandemia em curso. E solidariedade aos povos indígenas, que vem sofrendo frente à ostensiva do agronegócio, a escalada dos crimes ambientais e a postura etnocêntrica do governo atual;
  10. Contra a Portaria MEC nº 544, de 17 de junho de 2020, que estabelece a possibilidade da realização de estágios curriculares dos cursos da área de saúde em caráter online e de forma remota. Além do descaso com as medidas de saúde pública, o Governo Federal vem reforçando seu descaso também com a educação de qualidade e com a formação dos profissionais da área da saúde com mais um ataque;
  11. Contra a perseguição de quadros técnicos do Ministério da Saúde, frente às denúncias de profissionais de carreira que vem sendo vigiados nas redes sociais e na vida privada após a intervenção militar em curso do Ministério da Saúde, remontando práticas dos tempos de arbítrio que o país viveu em períodos ditatoriais.

Assim convidamos a todos e todas colegas profissionais de saúde a estarem conosco nessas atividades simbólicas em todo o país e que possam, às 10 hs da manhã, manifestarem-se em suas casas, em seus locais de trabalho.
Nas seguintes cidades teremos pequenos atos simbólicos em espaços públicos:

  • Brasília – DF
  • Fortaleza – CE
  • Recife – PE
  • Caruaru – PE
  • São Paulo – SP
  • Cuiabá – MT
  • Petrolina – PE
  • Juazeiro do Norte – CE
  • Maceió – AL
  • Aracajú – SE
  • Belo Horizonte- MG
  • Salvador-BA
  • João Pessoa-PB

E teremos nas cidades de Florianópolis – SC; Porto Alegre – RS; Campo Grande – MS; Belém – PA; Londrina – PR; Pacaraima – RR; Boa Vista-RR, Canindé – CE; Itapipoca-CE, Sobral-CE, Curitiba-PR, Campinas-SP que possivelmente nessas cidades farão as mobilizações mais focadas nas redes sociais, de forma sincrônica com os outros atos simbólicos presenciais pelo país.

Os locais dos atos serão divulgados próximo à realização das atividades. #oSUSsalvavidasBolsonaroNão e naoesoumagripezinha

Assinam esse Manifesto:

Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares – RNMP
Associação Brasileira de Médicas e Médicos pela Democracia – ABMMD Federação Nacional dos Enfermeiros – FNE
Federação Nacional dos Psicólogos – FENAPSI
Federação Nacional dos Nutricionistas – FNN
Confederação Nacional dos Trabalhadores da Seguridade Social – CNTSS União Nacional dos Auditores do Sistema Único de Saúde – UNASUS Associação Brasileira de Ensino em Fisioterapia – ABENFISIO
Conselho Federal de Serviço Social – CFESS
Confederação Nacional dos Trabalhadores da Saúde – CNTS Federação Nacional dos Farmacêuticos – FENAFAR
Federação Nacional dos Odontólogos – FNO
Associação dos Fisioterapeutas do Brasil – AFB
Associação Brasileira de Nutrição – ASBRAN
Associação Brasileira de Terapia Ocupacional – ABRATO Associação Brasileira de Saúde Coletiva – ABRASCO
Centro Brasileiro de Estudos em Saúde – CEBES
Associação Brasileira REDE UNIDA
Direção Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina – DENEM Frente Nacional Contra as Privatizações da Saúde



Comentários

    • Se meu comentário poderá ser moderado, certamente, o seráa, pois discordo da maior parte dos itens da pauta:
      2. O STF deu total autonomia aos governadores e prefeitos para “administrarem” a pandemia. Portanto, vocês são eles quem vocês deveriam responsabilizar.
      3. Intervenção militar? Vocês parecem não ter a menor noção do que isso significa!
      4. Calúnia e difamação! Duvido que encontrem uma fala (se não for editada) do Presidente que dê respaldo a essas acusações!
      9. Respeitem os brasileiros pretos, brancos, vermelhos e amarelos. Somos todos iguais. Ninguém é “mais igual” que outro. Não incentivem as divisões dos brasileiros. Unamo-nos! Somos uma só raça: a humana! Somos um só povo: o brasileiro!
      10. Medida que possilita dar continuidade aos estudos, diminuindo os danos (atrasos nas formaturas, por exemplo), pois não se sabe até quando os governadores/prefeitos vão manter as aulas suspensas.
      11. Conheço muita gente sendo vigiada e censurada na internet. Todos apoiadores do Governo Federal.

      • Bom dia!
        2. O STF não deu autonomia para governadores e prefeitos. Quem deu foi a Constituição Federal, vide artigo 198.
        3. Temos plena consciência do que isso significa. CEBES lutou pela redemocratização do País. O militar Pazuello obedeceu as ordens do presidente e quis modificar a transparências das informações sobre a covid-19. Agiu contra equipe do MS que emitiu Nota Técnica sobre aborto LEGAL porque isso vai contra o que o presidente prega. Emitiu comunicação que está vigiando as redes sociais de todos os servidores.
        4. Presidente na acredita na seriedade da pandemia e incentivou que entrassem em áreas reservadas a pacientes e profissionais de saúde para filmar o ambiente de trabalho. Isso é fato e é falta de respeito com profissionais e agressão.
        9. Diga isso para o presidente que diz coisas como “cada vez mais o índio é um ser humano igual a nós”
        10. Na prática, isso acaba gerando precarização do estudo e capacitação.
        11. Você fala dos apoiadores que pedem fechamento do Congresso e do STF. Essas pessoas que ameaçam congressistas e juízes? O nome disso não é censura.

  1. Deveriam protestar contra os governadores e prefeitos, pois estes administraram o dinheiro que o governo. Federal enviou para o combate ao Covid 19. Certeza que em Estados com governantes corruptos os casos dispararam. Deveriam mostrar estas mortes por estados.

  2. As entidades tem que lutar pela aposentadoria especial da enfermagem sem limite de idade

Deixe uma resposta


Seu e-mail não será publicado. Seu comentário poderá ser moderado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.