25/11/2019

Casa da Mulher Catarina comemora 30 anos com Ciclo de Debates

Casa da Mulher Catarina comemora 30 anos com Ciclo de Debates

A Casa da Mulher Catarina convida todas para o debate “Mulheres na Política – Estratégias de participação, lutas e desafios”, com as companheiras Célia Fernandes, Carla Ayres, Fafá Capela e Selma Adão. A mesa faz parte do Ciclo de Debates “Ser feminista em tempos de retrocesso” comemorativos aos 30 anos do grupo e está integrada aos 16 dias de ativismo contra a violência contra a mulher.

Serviço:
Dia 25/11
Horário: 14h30 às 17h30
Local: Casa da Mulher Catarina, rua Dom Joaquim, 757 – Florianópolis, SC.

Contatos:
Telefone: (48) 3223-8010
Facebook: https://www.facebook.com/Casa-da-Mulher-Catarina-240168152678215/


Sobre a Casa da Mulher Catarina

Grupo feminista, fundado em 1989, dedica-se à saúde da Mulher. Reconhecida internacionalmente como defensora dos direitos das mulheres.

Mais antigo grupo feminista do estado, a Casa da Mulher Catarina fundada em 1989, já realizou grandes projetos, debates, oficinas, seminários e entrevistas.

Participou da 4ª Conferência Mundial da Mulher em Beijing (1995), em diversas edições do Fórum Social Mundial, da 10ª Conferência Nacional da Saúde (1996), das edições da Conferência Nacional de Políticas para Mulheres, Conferência Estadual de Políticas para Mulheres, do Conselho Estadual de Saúde (desde 2004), das Conferências Municipais da Saúde de Florianópolis e da Comissão do Prêmio Galba de Araújo para maternidades do Estado.

É projeto de extensão do Departamento de Saúde Pública da UFSC dedicado à saúde da Mulher, à participação política, aos direitos sexuais, reprodutivos e da raça/etnia.

Reconhecida internacionalmente como defensora dos direitos das mulheres, conta com importantes parcerias, entre elas a Articulação de Mulheres Brasileiras, Articulação Nacional de Mulheres Negras, Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, Instituto Catarinense de Estudos, Políticos e Econômicos e o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher/SC. Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CREMV).

Atualmente sedia a Rede Nacional Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos.