ENSP, Cebes e Iesc/UFRJ divulgam vídeos do debate sobre autogestões em saúde e o SUS

ENSP, Cebes e Iesc/UFRJ divulgam vídeos do debate sobre autogestões em saúde e o SUS

“Origens, desenvolvimento e situação atual: como as autogestões funcionam e se relacionam com o SUS”, este foi o tema do seminário realizado no dia 10 de abril por meio da parceria entre a Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz),  o Centro Brasileiro de Estudos de Saúde – Cebes e o Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IESC/UFRJ). Para permitir que mais pessoas tenham acesso às discussões, as entidades divulgaram uma série de vídeos com as palestras dos convidados.

O evento foi o primeiro de um ciclo de quatro seminários que debaterá as políticas de saúde no Brasil. O objetivo do primeiro foi discutir a autogestão no contexto da economia da saúde do país e qualificar o debate sobre a complementaridade ao SUS, com propostas para que esta seja favorável ao interesse público e viável de ser concretizada.

Para falar sobre o tema, esiveram presentes os pesquisadores José Sestello, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT/Bahia); Carlos Octávio Ocké-Reis, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); e Ialê Falleiros, da Escola Politécnica em Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz). A mesa foi coordenada pela vice-presidenta do Cebes e pesquisadora da Fiocruz, Isabela Soares Santos.

O segundo seminário acontecerá nesta quinta-feira, dia 22, às 10 horas, e discutirá “Como as autogestões funcionam e se relacionam com a ANS e o Estado: limites e potencialidades da representação” (veja aqui mais informações).

Veja abaixo os vídeos com a íntegra do debate:

Resumo do debate/ Edição ENSP-Fiocruz:

 

Palestra de Carlos Octávio Ocké-Reis (Ipea):

 

Palestra de José Sestello (TRT/Bahia):

 

Palestra de Ialê Falleiros (EPSJV/Fiocruz):



Deixe uma resposta


Seu e-mail não será publicado. Seu comentário poderá ser moderado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.