UFFS – Campus Chapecó cria Núcleo do CEBES

UFFS – Campus Chapecó cria Núcleo do CEBES

Da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) 

 

Conforme a professora Daniela Savi Geremia, o movimento nacional, criado nos anos 1970, foi, na época, um articulador pelos direitos sociais, em especial, na militância pela criação do Sistema Único de Saúde (SUS). “O foco dele é trabalhar com justiça social, dentre outras questões – e a principal – é a saúde”, ressalta a professora.

 

Desde então, vários núcleos foram criados no país, mas em Santa Catarina o de Chapecó é o primeiro a ser implantado. “É uma oportunidade de a UFFS pensar propostas para o SUS no país e na região”, comenta a professora.

 

O Núcleo do Cebes – Chapecó tem vinculação ao Grupo de Pesquisa Políticas Públicas, da UFFS, que está na área da Saúde Coletiva. Instituído em novembro de 2016, o grupo está cadastrado no CNPq, com 11 professores, 15 estudantes, duas servidoras técnico-administrativas. Já possui projetos de Pesquisa e de Extensão atrelados a sua proposta.

 

Por enquanto, segundo Daniela, quem integra o Cebes são os membros do Grupo de Pesquisa, mas o intuito é agregar a comunidade em geral e estudantes, professores e técnicos das outras duas universidades com cursos ligados à área da saúde em Chapecó. Isso deve ocorrer assim que o núcleo estiver mais organizado e com o cronograma de atividades definido.

 

O movimento trabalha muito com a formulação de políticas públicas. “Os principais intelectuais estão ligados a esse grupo de militância pelo SUS. Muitos deles são servidores efetivos do Ministério da Saúde, inclusive. Como o grupo teve esse reconhecimento desde a década de 1970 pela militância, ele é ouvido. São os principais pesquisadores da saúde coletiva que acabam influenciando algumas tomadas de decisões pelos gestores, seja em âmbito federal, estadual ou municipal”.

 

Como a professora Maria Eneida de Almeida foi secretária executiva do Cebes e a professora Daniela fez alguns trabalhos com o centro enquanto morou no Rio de Janeiro (o Cebes nacional está localizado na capital fluminense), já havia uma interlocução com membros da sede. Para oficializar o pedido de criação do Núcleo Chapecó, uma carta foi enviada ao movimento (leia a carta no Facebook do Núcleo).

 

Segundo a professora Daniela, o momento é bastante oportuno para a criação do Núcleo Cebes – Chapecó. “O SUS vem passando por um desmonte. Várias políticas juntas estão conduzindo para isso: privatização do SUS – com terceirização de serviços, incentivo a planos de saúde populares, desfinanciamento do sistema. A partir dos impactos da PEC 55, em 2018, a prospecção para os próximos 20 anos que o público torne-se cada vez mais precário. Assim, o privado vai tomando os espaços e a saúde vai sendo explorada como mercadoria. É contra isso que lutamos”, ressalta.

 

Leia o documento completo de fundação do núcleo.

 

Chapeco



Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Seu comentário poderá ser moderado.